theme

leavelikemysanity said: quando eu tinha prai 15 anos, não sei bem porque entrei em desidratação e vomitava tudo, a primeira coisa que me perguntaram quando fui ao médico foi «há possibilidade de estar grávida?» like… fuck off man -.-

há coisas que não dá para perceber, muito sinceramente. a mulher se me tivesse feito a mesma pergunta, eu nem ficava ofendida, sei lá, como eram dores de estômago e tal e ela apalpou-me a barriga, até achava legitimo ela perguntar. a cena foi ela ter feito a análise com aquele fim e nem me ter dito nada, nem à minha mãe sequer. eu não percebo 

welcome-to-your-hell said: pai da criançaaaaa!

mas quem será? eu sei lá, sei lá!

welcome-to-your-hell said: amanhã no Goucha às 10h. <3

ai sim, estou lá, não sei é quem é o pai do feto, tal é a safadisse!

welcome-to-your-hell said: vamos fazer isso!

bora, vou tratar amanhã do meu “empranhamento” e vou criar o “17 e prenha Portugal” na TVI. sucesso garantido e muitos trocos para o bolso

welcome-to-your-hell said: aquele programa do grávida aos 16… Que awesome que era!!!!

"16 and pregnant", euzinha famosa! fazia mais furor que a casa dos segredos 

Li o teu texto e também fizeram um cena parecida a uma amiga minha, é o país que temos! :/ asked by sweetamber

isto foi tudo um bocado ridículo. eu não percebo este tipo de atitudes, muito sinceramente. estamos entregues aos bichos 

welcome-to-your-hell said: crazy biatch!

então não se vê logo! na altura até tinha 16 anos, dava perfeitamente para ir para a MTV 

dontgetlostinheaven said: mas o que é que tinhas afinal?!

aí está a questão, até hoje não faço ideia. drunfaram-me com antibióticos, as dores só me passaram após uma semana/semana e meia e o mais engraçado é que a segunda médica até se recusou a passar atestado médico, sendo eu obrigada a ir à escola e faltei só dois dias para não ter problemas. 

uma coisa engraçada que descobri agora e que acho engraçado e ao mesmo tempo triste:

em outubro do ano passado fui parar às urgência do hospital de Setúbal devido a umas dores constantes e insuportáveis de estômago e febres altas (e com a junção de tudo ainda tinha dores musculares, dores de cabeça, de coluna, etc). a médica que me atendeu apalpou-me toda na barriga e eu, como era de esperar, comecei a chorar porque eram dores mesmo insuportáveis (e consequentemente, duas horas antes apareceu-me a menstruação, o que ajudou ainda mais à festa das dores). a médica achou por bem fazer-me análises à urina porque desconfiava que tinha uma infeção urinária (tudo a ver, realmente), e pronto, quem sou eu para questionar a médica, e lá fui fazer a análise. fiquei 3 horas à espera do resultado e drunfaram-me com paracetamol. a análise acabou por não acusar nada e lá me receitou um antibiótico (sem fazer puto ideia do que eu tinha, tanto a médica como eu). nessa mesma noite não consegui dormir nada, se dormi uma hora foi muito e como tenho uma mãe um bocad(ã)o galinha, lá me levou outra vez para as urgências no dia seguinte às 9 horas da manhã. a médica que me atendeu nesse dia disse que eu estava armada em criança porque não acreditava que tivesse assim tantas dores, que eu tinha que me mentalizar das dores e não pensar nelas (fuck logic) e para calar a minha mãe mandou-me fazer uma ecografia ao estômago. mais uma vez, saí do hospital após umas 3 ou 4 horas de lá estar sem saber o que tinha (e claro, só me fizeram os exames depois de muitos pedidos por parte da minha mãe, porque drunfarem uma pessoa com antibióticos é mais fácil).

a minha querida mãe está neste momento a fazer a separação dos papéis das despesas anuais para fazer o IRS, e qual não é o espanto dela quando no recibo do hospital a análise à urina não foi para ver se tinha uma infeção urinária, mas sim para ver se estava grávida? o pior é que ninguém nos disse nem avisou de nada e lol rótulo do século xxi: gaja de 16 anos com dores de barriga=prenha. 

e pronto. situações felizes

theme